Vinho e Sushi

Vinho e Sushi

Culinária japonesa e vinho

Tradicionalmente, a culinária japonesa nunca foi associada a harmonizações com vinhos. O saquê é sempre a bebida mais pedida quando o assunto é comida oriental. Quando não apenas um suco ou água. Mas como em diversas gastronomias a combinação entre bebida e comida nunca apresenta uma resposta precisa que estabeleça uma regra definitiva, a relação entre o vinho e a culinária nipônica, se conduzida com um pouquinho de imaginação, pode revelar muitas boas surpresas.

A diversidade da culinária japonesa e seus temperos podem assustar na hora de harmonizar com vinho.

O tema certamente causa polêmica. É sabido que a diversidade dos temperos e molhos utilizados pelos japoneses pode dificultar na harmonização com o vinho: shoyu, vinagre de arroz, wasabi, gengibre, saquê, missô, etc, são ingredientes que têm de fato sabores característicos que causam medo na hora da combinação. Na maior parte das vezes, a utilização de elementos muito leves como peixes e vegetais, também pode acrescentar uma dúvida a mais no momento de decidir qual vinho tomar.

De modo geral, os vinhos brancos, rosés e espumantes são os mais indicados para acompanhar a comida japonesa, normalmente de preparo detalhista e sabores delicados. A dica principal é: quanto mais leve for a comida, mais leve deve ser o vinho, pois os sabores da comida devem ser acentuados, e não sobrepostos pela bebida; fazer esta adequação é essencial para a harmonização.

Quem disse que vinho tinto e culinária japonesa não combinam? Basta seguir a intensidade da comida.

O vinho tinto também pode ser uma boa pedida, com algumas restrições apenas. Sabemos que a diversidade da comida japonesa é uma de suas características marcantes, e nem sempre o peixe cru será o prato principal. A intensidade do vinho, assim como sua cor e sabor pode ir aumentando de acordo com a intensidade de sabor do prato. Deve-se evitar, contudo, vinhos tintos que passam por barrica de carvalho, pois estes costumam pesar mais que o prato que o acompanha.

Para ajudar você a ter um resultado melhor na harmonização da bebida do deus Baco com a comida da terra do sol nascente, separamos algumas orientações bastante úteis.

Dicas:

– Por ser de sabor marcante, picante, com leve acidez e aroma bastante forte, o gengibre é um ingrediente que dificulta bastante a combinação com vinhos. Se o prato tiver forte presença de gengibre, fuja dos tintos. Experimente um espumante brut, ou vinhos com as variedades brancas Gewürztraminer e Sauvignon Blanc que proporcionam um equilíbrio bom de aroma e sabor.

– Se o prato for preparado ou servido à base de shoyo, que tem forte teor de sal, prefira vinhos com alto nível de acidez, para quebrar o salgado do molho. O wasabi, por sua vez, eleva a sensação alcoólica do vinho, portanto equilibrar com um vinho com baixa graduação de álcool é uma boa dica. Nessa situação, escolha um vinho branco leve, adocicado e com baixo teor de álcool para acompanhar pratos com muito shoyo e o wasabi.

sushi-espumante

Espumantes são ótimos acompanhantes para peixe cru, como sushi e sashimi.

– O sushis e sashimi, preparados com peixes de texturas mais leves, casam perfeitamente com espumantes jovens e sutis. A leveza e delicadeza dos espumantes refrescam e limpam o paladar – uma harmonia de sucesso com pratos à base de peixe cru.

– Os vinhos brancos mais encorpados combinam bem com pratos com mais cremosidades, ou preparados com frutos do mar com gosto mais acentuado como vieira, lula, camarão e lagosta, assim como peixes mais gordurosos.

– Se não quiser deixar os tintos de lado, experimente um Pinot Noir, ou mesmo um bom Rosé, com pratos quentes como Yakisoba e Yakitori.

O importante é não ter preconceito e se divertir experimentando novas combinações e descobrindo novos sabores. Você verá que o vinho tem muito a ver com a comida japonesa, e harmonizá-los pode se tornar uma experiência maravilhosa!

Fonte:clube do vinhos